- Jupi e Jucati poderão beneficiar com águas do São Francisco

O Governador Eduardo Campos está otimista que logo em breve o Presidente Lula irá incluir no PAC-2 a Adutora do Agreste, que terá 1.030 km de extensão e está orçada em R$ 1,5 bilhão, dinheiro pouco para o alcance social da obra, que beneficiará diretamente 61 cidades daquela região, além de 80 localidades entre vilas e povoados.
As cidades que serão beneficiadas por água do rio São Francisco são:
1- Agrestina
2- Alagoinha
3- Altinho
4- Angelim
5- Arcoverde
6- Barra de Guabiraba
7- Belo Jardim
8- Bezerros
9- Bom Conselho
10- Bom Jardim
11- Bonito
12- Brejão
13- Brejo da Madre de Deus
14- Buíque
15- Cachoeirinha
16- Caetés
17- Calçado
18- Camocim de São Félix
19- Canhotinho
20- Capoeiras
21- Caruaru
22- Casinhas
23- Correntes
24- Cumaru
25- Cupira
26- Frei Miguelinho
27- Garanhuns
28- Gravatá
29- Jataúba
30- João Alfredo
31- Jucati
32- Jupi
33- Lagoa do Ouro
34- Lagoa dos Gatos
35- Lajedo
36- Machados
37- Orobó
38- Palmeirina
39- Paranatama
40- Passira
41- Pedra
42- Pesqueira
43- Poção
44- Riacho das Almas
45- Sairé
46- Salgadinho
47- Saloá
48- Sanharó
49- Santa Cruz do Capibaribe
50- Santa Maria do Cambucá
51- São Bento do Una
52- São Caetano
53- São Joaquim do Monte
54- Surubim
55- Tacaimbó
56- Terezinha
57- Toritama
58- Tupanatinga
59- Venturosa
60- Vertente do Lério
61- Vertentes.
A Adutora do Agreste vai funcionar integrada ao eixo leste da obra de transposição do rio São Francisco (o que levará água para a Paraíba passando por Custódia e Sertânia).

O governador Eduardo Campos encontrou o presidente Lula, na semana passada, e o entregou o projeto da adutora. “Apresentei a adutora ao presidente Lula, como pleito número um de Pernambuco para o PAC-2. Com ela, vamos levar água para 64 municípios e 80 localidades do Agreste, que é a região do Nordeste que tem o pior balanço hídrico. Com a conclusão, garantiremos o abastecimento destas cidades por mais 30 anos”, disse. Os objetivos da audiência pública foram explicar o projeto da adutora à população e tirar as dúvidas das pessoas presentes.

Para o secretário de Recursos Hídricos e presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), João Bosco de Almeida, a adutora representa a solução de boa parte dos problemas de abastecimento. “Com essa obra vamos equacionar o racionamento de água nesta localidade. Não tinha sentido a água da transposição do rio São Francisco passar por Pernambuco e não ser utilizada por nós”, disse.

A água da adutora vai ser levada para as cidades do Agreste a partir do eixo leste da Transposição do rio São Francisco, que inicia em Sertânia. “Vamos levar o líquido para Arcoverde, onde será feito o reservatório Ipojuca. O resto do percurso vai ser realizado pelas adutoras”, explicou o secretário executivo de Recursos Hídricos, Almir Cirilo. Mais de mil quilômetros de tubulações serão instalados paralelamente à BR-232.

A Adutora do Agreste, quando pronta, disponibilizará quatro mil litros de água por segundo - um acréscimo de 103% no abastecimento. Os projetos da obra devem ser feitos de junho deste ano até novembro de 2011. Já a execução deve acontecer de junho de 2011 a dezembro de 2013.


Fonte: Secretaria de Comunicações